Série: Don't Trust The Bitch in 23 Apartment





Título: Don't Trust The Bitch in 23 Apartment
Ano: 2012-2013
Temporadas: 2
Estado: Cancelada
Formato: sitcom
Emissora: Canal ABC e Fox
Gênero: Comédia. 

Sinopse:  June vai para Nova York esperando conseguir o emprego e o apartamento de seus sonhos, mas acaba tendo que dividir um apartamento com Chloe, que tem um reputação um tanto duvidosa. (Retirado do Filmow)


Don't Trust The Bitch in 23 Apartment é uma série norte-americana que conta  a história de June, uma garota do interior que se muda para Nova Yorque para realizar o sonho de ter a carreira dos sonhos. Na procura de um apartamento perfeito, June encontra Chloe, a colega de quarto aparentemente perfeita, amigável, chique e ainda por cima ex-namorada do seu ídolo, James Van Der Beek. Porém, depois de menos de um dia de convivência, June percebe que Chloe não é exatamente o que ela achava. 

Personagens principais de Don't Trust The Bitch in 23 Apartment: 


Chloe por Krysten Ritter em Don't Trust Bitch in 23 Apartment
Interpretada pela maravilhosa Krysten Ritter (conhecida atualmente por interpretar Jessica Jones na série com o mesmo nome) podemos definir Chloe com um adjetivo popularmente usado aqui no Brasil: chave de cadeia. Chloe além de ser festeira, beber (muito) e fumar (muito) sempre está passando a perna nas outras pessoas, principalmente nos amigos, para conseguir o que quer, desde dinheiro até grandes favores. Ela tem um sério distúrbio de moral e isso a faz se tornar mais próxima de nós. 

June por Dreama Walker em Don't Trust Bitch in 23 Apartment

June é totalmente o contrário de Chloe, interpretada por Dreama Walker, ela é a tipica garota do interior, caseira, bondosa e sonhadora. Teve que provar para Chloe que era capaz de conviver com ela, sendo truqueira do mesmo jeito, e passa boa parte da série tentando fazer com que Chloe admita que ambas são amigas. 

James Van Der Beek interpretando ele mesmo em Don't Trust Bitch in 23 Apartment

Em Don't Trust The Bitch in 23 Apartment, temos James Van Der Beek (famoso por Dawson's Creek) interpretando ninguém menos que... Ele mesmo! James faz de tudo para ser reconhecido e para estar sempre bem nas telas, não somente na atuação e na beleza, ele foca tanto nessas coisas que, as vezes, nem percebe que sua ex-namorada e melhor amiga, está passando a perna nele e tanto faz que nem liga para as questões imorais dela.

Esse é o tipo de série pra quem gosta de humor e também de uma personagem principal que está longe de estar no esteriótipo de ''garota perfeita'' (Bela, recatada e do lar, hahah) além de histórias loucas a cada episódio. Don't Trust The Bitch in 23 Apartment é cheia de festas, bebidas, looks arrasadores, glamour e enredos engraçados, como o episódio em que Chloe se torna a editora-chefe de uma das revistas femininas mais famosas do país e que vai determinar quem vai ser eleito o homem mais sexy do mundo, detalhe: tudo isso apenas agindo como uma editora-chefe e não sendo uma!
Temos também o circulo ao redor de Chloe, como o vizinho tarado que tem suas fantasias alimentadas pela própria, que desfila nua pela apartamento e também a vizinha que é obcecada por ela e que tentou assustar June para que ela se mudasse para longe de Chloe e assim poder se aproximar da nossa b*tch. Temos também Mark, que é um futuro crushizinho de June e com quem ela tenta namorar.

Dê um a cinco, quantas Chloe's eu dou para Don't Trust The Bitch in 23 Apartment?



Por quê 4 Chloe's e meia? Infelizmente, pela série ter sido cancelada, a segunda temporada não tem final e o último episódio ficou em aberto, deixando todo mundo curioso sobre a b*tch anterior a Chloe. 

Carta #1: Para os meus melhores amigos.

Para as melhores pessoas que escolhi para estar comigo,

É difícil de admitir mas antes dos meus onze anos eu não tinha alguém que pudesse chamar de melhor amigo. Ou sequer pessoas que eu podia chamar de amigos mesmo. Acho que por isso sempre fui uma criança meio solitária. Mas não acho que esse passado -não tão remoto, mas ainda assim longínquo- tenha que entrar nesta carta. 
Eu poderia colocar o nome de vocês aqui, mas acho que isso causaria intrigas por partes das pessoas que pensam que são amigos próximos à mim, quando são apenas mais pessoas que estão meio desconectadas da minha vida e que não se importam com os rumos que ela está tomando, por conta disso, ao decorrer desta carta, falarei coisas nas quais vocês vão se identificar, e assim que lerem, saberão que são vocês. 
A dificuldade de encontrar alguém que te reedifique quando você desaba é grande, mas felizmente eu consegui encontrar vocês. Este pode ser mais um texto clichê, daqueles que eu rodearei e no final vou acabar falando sobre o quão vocês são importantes para mim, mas eu não me importo. A vida é um clichê e melhores amigos também são. Nem sempre clichês são ruins, eles podem ser ótimos, sabe? 
Vocês enfrentaram o Ensino Médio comigo, mesmo que 1/4 nem ao menos estivesse presente nessa cidade onde tudo é tão diferente de nós que ficamos perdidos. É bom ter alguém para compartilhar seus pensamentos, suas insanidades, suas derrotas e vitórias, seus amores e desilusões e parcerias de ''quedinhas'' (hoje chamadas de 'crush'). Se vocês não estivessem entrado na minha vida, quem me apresentaria RuPaul, discutiria comigo sobre a fome no mundo pelo chat do Facebook, sentaria na praça para conversar sobre música pop por horas, ou até mesmo ficaria conversando comigo por três redes sociais diferentes ao mesmo tempo sobre diferentes assuntos diferentes? 
Vocês são loucos, insanos, desconectados, tem umas ideias loucas, mas eu também sou assim. Nós conversamos os assuntos mais estranhos, planejamos coisas muito surreais e rimos tanto de nós mesmos que me dá dor de barriga só de lembrar.
Eu só tenho a agradecer vocês. Obrigada por me apoiarem sempre, por estarem aqui por mim quando eu preciso de ajuda. Obrigada por me incentivarem e também por serem sinceros, por me ensinarem coisas e também se deixarem ser ensinados por mim. Obrigada por compartilhar experiencias, momentos, risadas, vinho Natal e Catuaba, por estarem nessa fase de amadurecimento e aguentando todas as questões que estão sendo impostas por mim. Obrigada por virarem madrugadas conversando, por assistirem filmes de terror, e até mesmo por aguentarem meus spoilers. Obrigada por me aguentarem quando estou chata, por aceitarem minhas desculpas e por tentarem me aconselhar quando eu estou me sentindo a pior pessoa entre nós. Obrigada pela nossa amizade clichê, por esse amor estranho. Enfim, obrigada por tudo. 
Eu amo vocês, e mesmo que nossos caminhos se distanciem, eles nunca vão realmente se separar.

     
       Esta é a primeira carta proposta no desafio ''30 day letter challenge'', visto no blog Dreams, caso quiser participar, clique aqui.

Meu ângulo: meu corpo.

Uma das coisas que eu mais senti falta de postar no blog foram as minhas fotografias. Não sou profissional e sei que eu estou longe disso, porém me dá uma satisfação imensa postar fotos e ver que vocês me elogiam. 
Meses atrás entrei em um projeto e ele se chama Meu Ângulo. Nesse projeto, todo mês temos um tema e as fotos tem que ser relacionadas á ele, e o desse mês foi Meu Corpo. Como é o primeiro mês que eu participo, vou deixar explicado o que é o MA pelas palavras da criadora, a Carla Malheiros:
''Um projeto fotográfico criado para blogueiros apaixonados por fotografia, com a intenção de explorar a criatividade e ampliar os nossos conhecimentos, juntos, na hora de fotografar. Com temas mensais escolhidos em conjunto, prezamos sempre a personalidade e a identidade, buscamos colocar na fotografia não só o nosso olhar, mas a nossa alma. Porém além de fotografar e compartilhar nossas aventuras atrás das lentes, temos o intuito de crescer juntos tanto na blogosfera quanto na fotografia, fazendo assim do MÂP não apenas um projeto mas um espaço de acolhimento e conhecimento.''
Passei parte da minha adolescência tentando aceitar quem eu sou e como eu sou, e só recentemente coloquei de vez na cabeça que eu não preciso ser uma modelo de revista, que eu não preciso ter nariz fino e nem ser magra demais, que eu sou latina e que nós somos tão lindas (e até mais) quanto as minas européias que estão sendo colocadas como bonitas no mundo todo. Eu sempre fui magra, mas alguma coisa em mim sempre me incomodava, por menor que fosse. 
Pra esse tema eu resolvi postar as fotos de um photoshoot de ultima hora que eu fiz com meu melhor amigo uns meses atrás, shoots já vieram depois mas eu resolvi postar esse por ter maior quantidade de fotos que eu fiquei apaixonada. 
Espero que gostem. 




Todas as fotos foram editadas usando o Lightroom com uma action desenvolvida por mim e ajustada de acordo com a necessidade de cada foto. 

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos.

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos

Durante toda a nossa adolescência nós ficamos sonhando com o dia que faremos os tão esperado 18 anos, a idade em que seremos livres, que poderemos sair a hora que nós quiseremos, que finalmente seremos independentes... SÓ QUE NÃO!
Antes de eu completar os 18 anos, meus amigos mais velhos viviam dizendo para mim que nada ia mudar e eu não acreditava até completar essa idade e ver que realmente, não muda nadinha. A única coisa que muda é que você pode ir para a prisão caso cometa um crime, comprar em certas lojas e beber sem medo de lascar alguma pessoa mais velha que esteja te acompanhando. Porque fazer 18 anos e fazer praticamente tudo o que você faz desde os 15.
Pensando nisso, reuni algumas verdades que eu percebi sobre fazer 18 anos.

Aviso: todos os itens dessa lista foram feitas a partir da minha experiencia pessoal. 

1. De algum jeito estranho, você não vai ter tempo para nada.

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos

Depois que eu completei 18 parece que eu não tenho tempo para fazer mais nada. Eu faço faculdade então estou sempre tenho que fazer algum trabalho, lendo algum livro (e as famosas apostilas!!!) ou estudando para alguma prova e mesmo quando eu saio com meus amigos e vou me divertir, eu fico pensando no que eu tenho que fazer, ai fica todo mundo conversando no maior papo e eu perdida por antes ter estado pensando em Piaget.

2. Seus pais ainda vão mandar em você.


Eu e minha mãe temos uma piada ''interna'' de quando uma vez em falei para ela que é engraçado porque antes ela dizia ''Quando você tiver dezoito anos, você vai fazer o que quiser mas por enquanto eu ainda mando em você'' e agora que eu tenho, ela diz ''Enquanto você morar na minha casa, eu ainda mando em você''.


3. Você vai poder ir à festas, mas não vai ter dinheiro. 

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos

Uma das minhas aspirações antes de completar a maioridade era poder ir para festas, finalmente eu ia poder entrar nelas e queria ir em todas que eu encontrasse. Agora parece que eu nunca tenho dinheiro pra isso. 

4. Começam a cobrar mais de você.


Sabe quando seus parentes distantes ficam te perguntando ''E xs namoradinhxs?''? Pois é, você vai ter muito mais perguntas com esse nível de chatice e além delas serem em maior quantidade, vão te encher mais. Você vai ouvir muito sobre o que você vai fazer no seu futuro e se você não faz um curso na faculdade que vai render muito dinheiro depois, com certeza vai ouvir: ''Oh, tão jovem, porque não aproveita e vai cursar (insira aqui um curso que dá dinheiro pra caralho mas com certeza vai te fazer infeliz para sempre)'', vão perguntar se você vai tirar carteira de motorista ou se já pretende casar ~calafrios

5. Vão ficar te comparando com pessoas que, com 18 anos, estavam mais ''para frente''. 


Vão ficar falando como fulano com dezoito anos já trabalhava ou que ele já estava morando sozinho e pagava as próprias contas. Ou como aquela sua prima de décimo grau já estava casada e você ainda está sem namorado (o que é bem machista por pensar que mulher só se realiza quando encontra um homem).

6. Você não vai aparentar ter essa idade.

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos

Quando eu digo que tenho dezoito anos e estou quase a um ano e meio na faculdade, muita gente se admira e diz que eu tenho cara de ser bem mais nova e ainda completam com ''Pensei que você tinha uns 14'' (o que parece bem sem sentido para mim).

7. Você vai se comparar com colegas muito antigos seus (as vezes até inconscientemente)


Um dos maiores erros que cometi nos últimos foi procurar o facebook de uma colega minha do Ensino Básico e descobrir que ela, poucos meses mais velha que eu, tinha virado modelo e estava morando sozinha em São Paulo. Fiquei bem triste e chorei ~eu estava de tpm~, porque para mim ela estava melhor do que eu que estou sofrendo fazendo faculdade para ser professora, até que minha mãe me deu um choque de realidade e me lembrou que, provavelmente, a família dela paga tudo para ela pois eles são ricos. 

8. Você vai começar a andar com gente mais velha do que você. 


De algum modo louco, você vai perceber que pessoas mais velhas estão virando seus amigos. Pode ser por ter começado a estudar em uma instituição de ensino superior, por estar fazendo cursinho ou por estar trabalhando, mas você vai começar a ter amigos de diferentes idades e as vezes até vai virar amigo de gente que você nunca pensou (!!!) .


9. Você não pode ficar sem fazer nada depois de ter feito 18 anos ou vão te chamar de vagabundo. 


18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anosEssa eu vejo pelos meus amigos, as peças raras que não estão fazendo nem faculdade e nem trabalhando, acabam sendo vistos como ''desocupados''. 

10. Você vai começar a se sentir velho.


Você vai se sentir velho quando alguém falar sobre um programa de tv que passava há muito tempo atrás e você se lembrar bem dele ou quando ver que aquele criança que você praticamente viu nascer já está grande.

11. Ou vai se sentir muito novo. 


Por ter feito amigos mais velhos, quando estiverem juntos, eles vão te tratar como o caçula da turma.

12. Você vai olhar para seus planos do passado e vai rir (ou não).

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos

Vai lembrar de quando você tinha 13 anos e planejava fazer altas coisas quando atingisse a maioridade. 

13. No meu caso, vai se incomodar com atrasos pois tem outras coisas pra fazer. 


Sempre parece que tem estar em outro lugar, fazendo outras coisas, atrasos vão te deixar nervosa. 

14. Não vai ver muita parte dos seus colegas de escola durante muito tempo.


Eles vão sumir por começar a fazer outras coisas e você também vai sumir, então é capaz de você não ver eles durante um tempo.

15. Vai perceber que coisas que antes importavam, hoje não importam mais e que as coisas com as quais você se importa hoje, podem não importar daqui um tempo.

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos
Diariamente lembre-se de que o menino que você está apaixona com 16 , provavelmente, não vai importar quando você estiver com 25 .
Diariamente lembre-se de que o teste de matemática você não conseguiu no seu primeiro ano do ensino médio , provavelmente, não importará quando você estiver se formando na faculdade .
Diariamente lembre-se que os problemas que você está enfrentando hoje podem parecer o fim do mundo, mas não vão importar em um ano.
Diariamente lembre-se que você vai ficar bem.
Tudo vai ficar bem.

Esse texto acima diz basicamente o que eu quero dizer. O mundo pode parecer estar caindo nesse momento e que as coisas não vão ter mais solução, se lembre que um dia, você pode nem lembrar mais disso.

16. Você vai começar a frequentar alguns lugares sozinho.


Você vai começar a ir no médico sozinho, no banco sozinho, no dentista sozinho e até ir ver coisas de documentos sozinho.

17. As pessoas vão atribuir mais responsabilidade a você. 


Aquele papo de ''Fulano já está crescidinho, já é um adulto!'' vai ser frequente. Se você fizer merda, ai que tu vai ouvir horas e horas sobre você já ser ''velho demais'' para fazer certas coisas.

18. Vai querer curtir a vida e estar com seus amigos sempre que puder.

18 coisas que ninguém te conta sobre ter 18 anos

Vai perceber que tem 18 anos e logo logo a coisa vai ficar mais séria, então qualquer oportunidade que surgir de ver seus amigos e curtir com eles, você vai querer participar porque logo logo isso pode não acontecer mais com tanta frequência.


E aí, o que acharam da lista? Apesar de muita reclamação (o que é comum em mim), eu estou achando muito legal já ser maior de idade e ter certas responsabilidades. Agora eu quero saber: o que ninguém contou para vocês sobre ter 18 anos? 

Beijo marujas e marujos, até mais! 

6 years e relacionamentos abusivos.

Título: 6 years.
Ano: 2015.
Duração: 85 minutos (1hrs25min).
Direção: Hannah Fidell.
Gênero: Drama/Romance.


Sinopse: Um jovem casal, Dan (Ben Rosenfield) e Mel (Taissa Farmiga), se conhecem desde a infância e estão namorando há 6 anos. A princípio, eles parecem ter um amor ideal, mas a notícia de uma oportunidade de emprego para Dan pode abalar o romance e mudar o rumo das coisas dependendo da escolha que ele fizer. Talvez o futuro que eles tinham imaginados juntos não se torne mais uma realidade. (Retirado do filmow)

(Aviso: O texto abaixo não é uma resenha e contêm spoilers. Porém não é necessário ter assistido o filme para entender a discussão.)

6 Years conta a história de um jovem casal que entra em conflito quando deixa a vida adolescente para entrar na vida adulta. Pode parecer só mais um filme bobo de temática adolescente que tem uma fotografia bonita, mas existe uma questão muito importante nesse filme que vem sido muito discutida nos últimos tempos: relacionamentos abusivos

Mel é uma garota muito decidida que sabe o que quer ser no futuro: professora do ensino infantil (primário) porém em contrapartida é muito carente e dependente do namorado, Dan, idealizando seu futuro sempre ao lado dele. Já Dan quer seguir carreira no cenário musical, ajudando gravadoras a descobrirem bandas que valham a pena, por conta disso, Mel e Dan começam a brigar, já que Dan volta muito do seu tempo para a gravadora na qual está trabalhando e também pelo fato dele acabar se envolvendo com outro alguém. Um ponto interessante que nós podemos perceber é que, durante todo o filme, quando Dan e Mel brigam, Mel acaba sendo aquela que pede desculpas, mesmo que a culpa de tudo ter começado não seja dela. Ela se torna tão dependente dele que acaba o perdoando e assumindo a culpa por coisas que ela não fez. 

Esse filme é bom para nós refletirmos não só sobre relacionamentos abusivos na adolescência, mas em um ambito geral. Quantas Mel's existem por ai? Quantas garotas imaturas acabam não sabendo não lidar com as situações e partindo para a agressão física depois de perder o controle diante do erro do parceiro? E também quantos Dan's existem? Quantos garotos que acabam se vitimizando para fazer o outro se sentir errado sendo que o erro é seu? Quantos caras manipuladores e egoístas que acabam continuando relacionamentos por pura acomodação? 

Impossível assistir o filme e não ver partes de nossos relacionamentos ali. Principalmente quando somos jovens e as vezes colocamos na nossa cabeça que nós temos que aceitar certos tipos de comportamento para não perder a pessoa com quem estamos nos envolvendo. Qual adolescente (ou até mesmo jovem) nunca foi tão cego de amor a ponto de acabar se desculpando por algo que não fez e se sentir culpado pelo erro do outro? 

Por mais que pessoas passem momentos maravilhosos juntos e esteja em uma relação longa, as vezes os caminhos tomam rumos muito diferentes e só o amor não basta. Mel e Dan por serem imaturos e por ser o primeiro namoro de ambos, influencia muito também, as pessoas tomam atitudes como se a relação fosse a única pelo resto de suas vidas e isso causa um desgaste tremendo. 

As vezes nós temos que aceitar que o nosso relacionamento com uma pessoa x não está dando certo. Mesmo que amemos ela com todo o nosso coração, a partir do momento que aquilo ali está te magoando, te machucando e te deixando pra baixo e a outra pessoa não consegue perceber que algo está errado, talvez seja a hora disso acabar. Se sentir presa a alguém e tão dependente da pessoa a ponto de não se imaginar separado dela não é algo normal. Temos que ver que independente de nossos relacionamentos nós temos nossas próprias vidas e não podemos deixar de fazer coisas porque o outro não vai estar lá junto. 

O Miss Cal está de volta!

Depois de mais de três meses fora do ar, o blog está de volta
O plano inicial que eu tinha em mente era o de ficar apenas o mês de Dezembro fora do ar e voltar no inicio de Janeiro, quando eu já tivesse terminado o novo layout (que não se difere muito do antigo, mas que agora está quase do jeito que eu quero, exceto por mínimos detalhes) mas meu computador resolveu quebrar dias depois do natal e fiquei quase um mês sem ele até finalmente achar quem poderia concerta-lo.
Esse hiatus aconteceu depois de eu perceber que eu não estava dando o meu máximo nesse blog e esperava receber algo de volta com uma coisa que eu não dava muita importância. Então eu jurei a mim mesma que nessa nossa fase blog eu faria diferente, que eu me esforçaria (e estou tentando!) e deixaria ele do jeitinho que eu gosto. Decidi deixar o layout do jeito que eu sempre tive em mente, mantendo o minimalismo anterior e tirando o já pouco colorido que o blog tinha anteriormente.
Nessa nova fase, talvez o blog fique um pouco mais com um tom de revista, com textos mais sérios e objetivos, e um pouco mais de textos de opinião. Espero que vocês gostem e que estejam tão animados quanto eu estou ♥
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...